22.10.08

Laços de família

Ela – Querido, temos de falar…

Ele – Que foi?

Ela – É a minha mãe. Não dá para ela continuar cá em casa.

Ele – Hã?!

Ela – É verdade. Está velha, já não faz nada bem feito e dá muita despesa.

Ele – Mas querida… é a tua mãe!

Ela – Depois treme que se farta, faz barulhos esquisitos e no outro dia até alagou o chão todo à volta. Aliás já não é a primeira vez.

Ele – E então? Vais deitar a tua mãe fora?

Ela – Hum… sim.

Ele – (silêncio)

Ela – Já olhaste bem para ela? Imagina o mau aspecto que dá às visitas. Querias fazer aquele jantar com os teus directores cá em casa, não é?

Ele – Bem visto, não tinha pensado nisso.

Ela – Podíamos comprar uma nova. Agora há umas tão jeitosas que fazem uma porção coisas.

Ele – És capaz de ter razão, até poupávamos espaço.

Ela – Pois, estás a ver?

Ele – É mesmo isso que queres? É que é da tua mãe que estamos a falar.

Ela – Eu acho melhor.

Ele – Mas o que é que lhe fazemos?

Ela – Pomos lá em baixo, que os senhores da Câmara recolhem-na.

Ele – É?

Ela – É. Ela fica bem.

Ele – Bom, ajuda-me lá a carregá-la.

Ela – Mas cuidadinho para não deixar cair. É a minha mãe, ok?
.
.
.
.
.


3 Comentários:

Blogger Stamp disse...

Filho desnaturado!

Mas vendo bem, dá mesmo mau aspecto lol

12:19 da tarde  
Blogger Porcos no Espaço disse...

"No lixo não, no Velhão!"


Descobri depois que a inspiração deste post afinal tinha vindo daqui:

http://br.youtube.com/watch?v=IHBcCHeRM44

11:56 da manhã  
Blogger Sway disse...

Com pensamentos desses, faz-me um favor. Se chegares primeiro lá abaixo, para além de guardares mesa (não vai ser difícil conseguirmos o lugar mais ao pé da "lareira"), vai abrindo um bom vinho também!!!

4:22 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial